Notícias

Cartórios Gaúchos Contam com Selo de Certificação de Ambiente Seguro


Campanha conta inicialmente com 19 cartórios aprovados no Estado

Para mostrar ao usuário que o cartório onde ele está buscando o serviço está em conformidade com os protocolos de combate à Covid-19 estabelecidos pelas autoridades, Conselho Nacional de Justiça e Corregedoria do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, a Associação dos Notários e Registradores do Rio Grande do Sul (Anoreg/RS) lançou o selo Cartório – Ambiente Seguro contra a Covid-19.

Entre os requisitos estabelecidos estão o controle de acessos e marcação de espaços para evitar aglomerações; disponibilização de álcool em gel para os colaboradores e usuários; fornecimento de máscara e outros Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) a todos os colaboradores; limpeza e higienização correta do ambiente; e opções para atendimento remoto ao usuário.

O presidente da Anoreg/RS, João Pedro Lamana Paiva, conta que a campanha nasceu para fortalecer as ações de combate ao contágio da Covid-19. “Porque nós fomos pegos de surpresa pela Covid e isso não terminou ainda. Mas é importante que se mantenha o isolamento de quem pode e só se saia de casa quando for necessário. Mas dentro da nossa atividade, precisamos cuidar de nossos colaboradores e usuários do sistema”, defende Paiva. “Nós fomos declarados como serviços essenciais e indispensáveis. Não paramos nenhum dia. Nós estávamos trabalhando de plantão para atender a demanda”, acrescenta.

Os cartórios tinham até o dia 31 de agosto para se inscrever. No processo, as unidades precisavam anexar as respectivas imagens comprovando a implementação das medidas para controle do contágio. Conforme o presidente, dos 776 serviços notariais no Rio Grande do Sul, que funcionam nos 497 municípios, 27 se inscreveram para participar da iniciativa e 19 foram aprovados no primeiro plano, 8 aprovados com orientações e apenas um deles não passou.

“Isso é zelar pela segurança, conscientizar a população, destacando o cartório como um ambiente seguro. Por isso houve toda uma reengenharia. Em um lugar que antes recebia 30 pessoas, agora é pra 10 pessoas, por exemplo”, conclui.

Fonte: Jornal Correio do Povo/RS